sábado, 24 de agosto de 2013

idéias gerais

Bill Brandt Window in Osborn Street 1931-35
De especialista em idéias gerais a fazedor de placas de nada, se passaram oito semanas e três luas. Deixara de escrever onze textos geniais e dois livros fantásticos. Também não conheceu pessoas encantadoras. De fácil identificação com anônimos, suas palavras eram bem aceitas entre as esquinas.

Seu estado de atenção era consciência alheia. Um usurpador metafísico que lia em voz alta e então usava uma moeda como marcador de páginas. As não lidas. Seus três nomes próprios ou primeiros nomes enalteciam suas contradições e faziam confundir o meio com o fim.

Esperava ser pobre para a vida. A sua. Daquelas realidades apagadas diariamente, se lembrava de passar o café e não as camisas. Proezas no enquadramento e deslocamentos rápidos. Só desafiava as leis do interesse. Suas harmonias com o mundo e o seu mundo paravam nas mãos dos criadores e consumidores.