terça-feira, 16 de dezembro de 2014

ambicanhoto

Lucio Fontana
Concetto Spaziale, 1959
Óleo sobre tela
126cm x 100 cm
Coleção particular
A sola do pé era alaranjada. Com um certo vermelho desbotado de modo que a unhas pareciam ainda mais brancas. Foi deste contraste que o contato e deu. Nas partes dos limites: as mãos e também os narizes. Havia um odor pouco amigável ou quase repelente nos encontros-cenas. E então as cinzas dos céus apagavam qualquer tentativa de aproximação.

Daquele ponto, eu via as tomadas e dos modelos antigos - de três pinos. Foi tudo antes da reforma das redes elétrica e de água. Levei meses para deixar de confundir as nomenclaturas e os usos. Mesmo hoje, depois de décadas, vou pelas impressões da infância e evidentemente me confundo pouco.

Tenho habilidades em perceber ruas arboladas e repletas de vazios. Sinto mesmo pelas ausências de nostalgia. Naqueles programa do rádio costumo prestar atenção nas respirações e nas pequenas pausas. Espero-me nelas diariamente.

domingo, 7 de dezembro de 2014

Pa

La cistella de pa
Salvador Dalí, 1945
Óleo sobre papel, 13 cm × 17 cm
Fundação Gala-Salvador Dalí, Figueres, Espanha
Do outro lado da cerca, pelos espaços entre as flores curvas, eles estavam tacando. Restava-nos acertar a bola. Um giro à esquerda e outros tantos metros. Posicionávamos em cinco fileiras. O primeiro lustrava mais sapatos, enquanto, eu, o último, ficava com dois ou três em couro e com laços, de modo que deveria ser o mais cuidadoso.

Quando a sombra do caixilho apareceu na cortina era entre sete oito horas, e portanto eu estava no tempo de novo, ouvindo o relógio. Do tipo dos mais antigos, aqueles que mesmo dando corda, ainda sim atrasava-se 7 minutos em oito horas. Pensava-se que no mês de agosto o ano já haveria de terminar. A alguns era mesmo que acontecia.

Uma vez vagabunda, sempre vagabunda, é o que eu digo. Mas não repito. Embora mais a vontade que o gosto. Vontade de ter um gosto. Um só e seguir ao lado dele para frente do meu nariz. Não acho que uma simples respirada em bufantes aventuras possa ser objeto a qualquer crítica. Há quem aja com os contrários.

O dia nasceu feio e frio, uma muralha móvel de luz cinzenta vinda do nordeste que, uma vez de dissolver-se em umidade, parecia desintegrar-se em partículas minúsculas e venenosas. Descemos de uma vez o muro. Quase três metros: acho que alinhavam com as paredes das casas mais próximas. Ou então mediam em palmos e então as variações eram de acordo com as idades mais avançadas.