sábado, 30 de maio de 2015

Harvey


Edward Hopper - Chair Car - Óleo sobre tela
101,6cm x 127cm - 1965 - Coleção particular
Daquelas portas automáticas que ao se encostar o dedo, elas se abrem. Claro, o vagão precisa estar parado, para que ao entrar, - e já com o bilhete fora do bolso - possamos validá-lo. E em seguida fazer o trajeto em pé e encostado no vidro. Um translúcido de qualquer coisa que não estará na próxima parada.

Nem sempre era o mesmo, mas suas pessoas, que o conduziam-no, eram iguais. Digo iguais, como nada semelhante entre elas, mas iguais; idênticas. Vestiam uniformes cinzas e usam quepe. No inverno, acrescentavam cachecol e luvas, com as pontas cortadas - uma vez que suas mãos controlavam o painel de velocidade.

Os anúncios sonoros me permitiam saber para onde chegariam meus passos seguintes. Preocupava-me aqueles pouco afeitos à pontualidade; sentia que seus relógios não tinham lugar nos pulsos ou mesmos suas baterias já não precisavam ser trocadas. E as portas, como disse, atravessavam todos a lugares que jamais desejaram estar.




quarta-feira, 20 de maio de 2015

Walter não tinha dentes

Mark Tobey - Mosiac - 1954
Guache e aquarela sobre papel velino - 45,5cm x 29cm
Art Institute of Chicago, Chigago, Illinois, EUA
Walter não tinha dentes. Vendia parafusos sem cabeças na sua ferreteria de bairro. Tudo por peso; sempre um pouco a mais na sua balança manual. Quando questionavam suas contas, mostrava os dígitos vermelhos, talvez verdes. Enquanto a entregas eram feitas, podia ver poucos passantes na rua.

Walter comprava flores. E então as escondia, uma a uma, em garrafas translúcidas. Esperava uma semana. Depois, as colocava na pilha do seu quintal cimentado. Passavam de trezentas já. Voltava-se para a porta e engolia seus pensamentos. Com gelo, beliscava o céu da boca com o quinze anos roubado na festa do último Natal.

Walter levava seu dedos sem as cutículas. Resultado de décadas de apreensão entre os lados do canal. Tomava a balsa diariamente: morava na parte alta de sua imaginação e para que ele lhe fizesse companhia decidira por comprar um espelho. Foi assim que se viu com os olhos mais espantosos e corriqueiros.