domingo, 22 de novembro de 2015

Cisne com asas

La Trahison des images - René Magritte
1929 - óleo sobre tela - 59cm × 65cm
Los Angeles County Museum - Los Angeles - EUA
O trajeto durava dois ou três abraços. Em alguma medida ou em todas elas, éramos um caminho na rua de paralelepípedos. À noite, pois a música costumava ser tocada nessas horas. À adorável decoração tínhamos olhares fixos e ao nos voltarmos, percebíamos um pontinho no nariz.

A melodia durava qualquer tempo que a desejássemos. Nem era pouco e nem muito. Nossas medidas continuavam entrelaçando umas às outras e quando,no tempo de um intervalo harmônico, as destruições fossem as construções (e vice-versa) já podíamos ver suas contínuas sobrancelhas.

E ao passo que nos deixando pela música, enxergarmos nossos horizontes. Cabíamos na palma da mão, aberta. Esta convivência entre os dedos e as memórias que ainda faríamos ao fechar os olhos e nos imaginarmos ao lado de nós mesmos. A desrealidade sobre os pés descalços que se tocam com carinho.


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Cardação

Maria Leontina - 1957 - Da Paisagem e do Tempo
óleo sobre tela - 60cm x 80cm
Museu de Arte Moderna - Rio de Janeiro - Brasil
E então porque estávamos todos de preto. Muitas coisas sobre resistir e aquelas massas de tintas extrapolavam as dinâmicas que foram internas. Os movimentos iniciais percebidos contemplavam um plano e aos quais todos os outros posteriores, e claro, externos, desafiavam nossas vontades.

E então por que estávamos todos de preto? Ao cansado questionar, não houve respostas. Cambaleava ao largo das sarjetas e numa delas, sentou-se. Completava a cena com suas mãos espalmadas em repetições sincronizadas e opostas. Queria as ruas cheias de todo mundo, de mundo e de todos.

Talvez estivéssemos todos de preto porque somos noites fechadas. Precisássemos uns dos outros para dançar, correr, falar ou mesmo andar. Íamos fiando algum tecido entre falsas folhas de rosto. Não tenho ligação pessoal com o tempo. Não fecho os olhos. Não vejo ninguém que se vestisse de preto.