sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Para os tempos

Edward Hopper - 1965 - Two comedians - Óleo sobre tela
73,7cm x 101,6cm - Coleção particular
Tenho a memória pulverizada ou a memória pulveriza algumas coisas em mim. Como se visse cartões postais em vez que janelas. Falo uma língua que flutua entre meus dedos e que escapam ao próximo ouvido ou à próxima página. Ontem, enquanto entrava no ônibus e seguia para o trabalho, me vi em uma boca alheia.

Planejei me sentar no fundo, onde os vazios são frequentes. Passo a roleta e os poucos assentos disponíveis são aqueles expostos aos contatos. Penso em ficar em pé e dividir a barra vertical com o sorridente de óculos escuros. Poupo-me da displicência e escolho as linhas horizontais que compartilho com a sujeita de trança solta.

Sou meu único vizinho. Alguma grama, verde pela chuva, conduz o meu olhar a outra ponta da rua. Aceno, faço um sorriso, um gesto de diálogo. Contentamento em sorrisos ansiosos. Dançamos ao som imaginário, preparamos uma refeição e ouvimos as respirações. Quase dez minutos de algum caminho, descemos.



domingo, 6 de dezembro de 2015

Faço tudo que seja nada extraordinário

Cine Brasília - 1962 - Marcel Gautherot - Acervo do IMS
Faço tudo que seja nada extraordinário. Faço pontos vermelhos em telas que secam e mantêm o brilho. Um azul, um laranja sem molduras. Repito as exposições, os filmes e os recortes. Faço ampliações, reduções e retoques. Deixo secar, mofar ao sol. No meio do disco um música do lado b. E depois.

E esta música de poucos ouvidos se escuta bem perto dos olhos e dos pés; ambos dançam. Um nó no vento que nos abraça e nos faz encontrar em chuva depois do sol. Alguns diminutivos em sons cercados de imitações. Um folclore sem paredes caiadas - e com janelas para a rua. E antes.

Algum tempo que era hamartía, e pelo seu circular funcionamento fora destruída. O tempo lá fora que vive passando, enquanto dentro, vive em notas lentas e longas. À esquerda do gauche poético e vivaz. Umas avenidas sem dilemas e outras ruas de terra. Um chão de coisas numeradas. E agora.